terça-feira, 22 de março de 2011

Sem ela, sem lugar.

 












Continue correndo, falta muito pra chegar lá.
Cada tropeço é sangue a menos pra se preocupar.
Mas capriche mais quando for tentar fugir. Tranque seu coração e finja que esses olhos cansados são por outro motivo.
Que estrutura danificada é essa que você construiu? Apenas um sussurro dele e ela já caiu.
Acho que suas pausas estão erradas.
Sem descanso e sem morte.
É uma corrida contra si mesma, na qual existe último lugar.


2 comentários: